Consulta online Consulta online Consulta online
Cons. telefónica Cons. telefónica Cons. telefónica
« Voltar para o blog

INFORMAÇÕES IMPORTANTES PARA TRATAMENTO DE PMA DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19

ANTES DE UMA ESTIMULAÇÃO OVÁRICA ou PREPARAÇÃO ENDOMETRIAL

Na situação de pandemia COVID-19 existente, é indispensável uma manifestação expressa de vontade, baseada na informação atualizada sobre o impacto da infeção pelo SARS-CoV-2 na gravidez e no feto, como anteriormente descrito bem como sobre a possibilidade de ter de vir a ser adiado o ciclo se for detetada infeção por SARS-CoV-2. Adicionalmente informamos que:

Em princípio não será necessário realizar nenhum teste se você ou seu agregado familiar estiverem assintomáticos e não houver suspeita de infeção nas últimas duas semanas. Isto prende-se com o facto de que nenhum teste pode garantir que não haja contágio durante o processo, mas se como paciente/acompanhante quiser realizar algum exame, a clínica colocará à sua disposição aqueles que estiverem acessíveis nesse momento.

Caso tenha sintomas ou alguma suspeita, poderemos:

- Fazer uma PCR nasofaríngea (assumindo que o resultado pode ainda ser negativo se estiver num estágio muito inicial e que existem falsos negativos) ou estudo de anticorpos (assumindo que demoram a dar positivo uma semana depois da infeção e que também tem falsos positivos e negativos).                                                                                                                                           

- Adiar o processo de estimulação ou transferência para o próximo ciclo.

Consulte também: Redução de riscos de infeção por coronavírus (SARS-CoV-2) durante o tratamento de PMA 

 

ANTES DE UMA PUNÇÃO OVÁRICA

Na situação de pandemia COVID-19 existente, é indispensável uma manifestação expressa de vontade, baseada na informação atualizada sobre o impacto da infeção pelo SARS-CoV-2 na gravidez e no feto, como anteriormente descrito, bem como sobre a possibilidade de ter de vir a ser cancelada a punção se fôr detetada infeção por SARS-CoV-2. Adicionalmente informamos que:

  • Deverá ser realizado um teste para avaliação de infeção por SARS-CoV-2 24h a 72h antes da punção - determinação por PCR em recolha nasofaríngea. (Isento no caso de IgG positivo comprovado, embora tenham sido descritos casos de permanência do vírus).
  • Se a PCR for positiva (presença de vírus) o procedimento será cancelado. (Exceto em pacientes com cancro).
  • Se surgir uma situação de RISCO, o cancelamento será avaliado caso a caso.

Consulte também: Redução de riscos de infeção por coronavírus (SARS-CoV-2) durante o tratamento de PMA 

 

ANTES DE UMA TRANSFERÊNCIA EMBRIONÁRIA

Na situação de pandemia COVID-19 existente, é indispensável uma manifestação expressa de vontade, baseada na informação atualizada sobre o impacto da infeção pelo SARS-CoV-2 na gravidez e no feto, como anteriormente descrito, bem como sobre a possibilidade de ter de vir a ser cancelada a transferência embrionária se fôr detetada infeção por SARS-CoV-2. Adicionalmente informamos que:

  • Deverá ser realizado um teste para avaliação de infeção por SARS-CoV-2 1 a 6 dias antes da  transferência embrionária -  determinação por PCR em recolha nasofaríngea. (Isento no caso de IgG positivo comprovado, embora tenham sido descritos casos de permanência do vírus).
  • Se a PCR for positiva (presença de vírus) ou houver um contato de risco muito próximo, o procedimento será cancelado.

Consulte também: Redução de riscos de infeção por coronavírus (SARS-CoV-2) durante o tratamento de PMA