Consulta online Consulta online Consulta online
Cons. telefónica Cons. telefónica Cons. telefónica
« Voltar para o blog

REDUÇÃO DE RISCOS DE INFEÇÃO POR CORONAVÍRUS (SARS-CoV-2) DURANTE O TRATAMENTO DE PMA

1- INFORMAÇÃO IMPORTANTE:

  • Nenhuma Sociedade científica ou governo desaconselha a gestação por via natural.
  • Não existe até ao momento nenhuma informação que leve a suspeitar de eventual interferência da infecção pelo novo Coronavírus (SARS-CoV-2) em relação a ciclos de PMA, quer a nível da estimulação hormonal quer a nível das técnicas laboratoriais.
  • O SARS-CoV-2, ao contrário de outros vírus, necessita da presença de um receptor específico para poder entrar nas células. Este recetor não foi identificado nos espermatozoides ou nos ovócitos, sendo assim muito improvável que o vírus seja capaz de infetar os gâmetas em pacientes com COVID-19, ou de contaminar estas células em laboratórios de PMA.
  • O nível de conhecimento atual relativamente a embriões humanos é ainda escasso. Não existem informações que permitam excluir possíveis efeitos negativos da infecção por este novo vírus sobre gravidezes em fase inicial.
  • Não está provado que as mulheres grávidas apresentem uma maior incidência de COVID-19 ou maior morbilidade do que mulheres não grávidas da mesma idade. Vários estudos têm apontado para um ligeiro aumento do risco de parto pré-termo em grávidas infetadas. Na maior série publicada até à data com 118 grávidas infetadas pelo SARS-CoV-2, 111(93%) tiveram apenas sintomas ligeiros, 68 (58%) tiveram o parto 14 (21%) dos quais foram pré-termo (8 foram iatrogénicos (motivados pela condição de saúde materna)), pelo que o parto pré-termo ocorreu espontaneamente em 6(9%). A taxa de aborto foi de 8% e não se registaram casos de infeção fetal ou mortalidade neonatal. Estes dados apontam para uma evolução relativamente favorável da gravidez na COVID-19.
  • Apesar de não poder ser absolutamente descartada a hipótese, não está comprovada a transmissão vertical (de mãe para filho durante a gestação ou nascimento, embora existam alguns casos em estudo por possível transmissão durante o parto) nem a transmissão de vírus entre embriões conservados em laboratório.
  • A experiência generalizada, incluindo a portuguesa, é a de que os recém-nascidos de grávidas infetadas têm um bom prognóstico e a sua condição de saúde não difere grandemente dos nascidos de grávidas não infetadas.
  • Alguns tratamentos necessários em casos de COVID-19 grave poderão ter que incluir medicamentos contraindicados em grávidas
  • As consultas presenciais serão reduzidas ao imprescindível, e a presença de acompanhantes será restringida o máximo possível. Se a presença de acompanhante for essencial, será uma única pessoa maior de idade e capaz de cumprir as medidas de proteção (de preferência o cônjuge ou sempre a mesma pessoa).
  • Lembre-se da enorme importância de comunicar qualquer alteração no seu estado de saúde durante a duração dos tratamentos de reprodução assistida.
  • Se surgirem sintomas de infeção respiratória, febre, anosmia (ausência de olfato ou paladar), mal-estar manchas na pele, a melhor alternativa é provavelmente cancelar o tratamento.
  • Lembre-se também da enorme importância de comunicar quaisquer alterações no seu estado de saúde no mês posterior aos tratamentos de reprodução assistida, a fim de estabelecer as medidas epidemológicas apropriadas (rastreabilidade dos contactos, etc.)

 

2 - INFORMAÇÃO IMPORTANTE  E RECOMENDAÇÕES PARA GRÁVIDAS:

Durante a gravidez devem ser seguidas as seguintes recomendações:

  • Lavagem frequente das mãos.
  • Ao tossir ou espirrar, cubra o nariz e aboca com o cotovelo flectido.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca, uma vez que as mãos facilitam a transmissão.
  • Usar lenços descartáveis para remover secreções respiratórias e deitá-los fora após o uso.
  • Evitar aglomerações e transportes públicos.
  • Limitar as relações sociais.
  • Limitar as viagens ao estritamente necessário.

 

3 - NORMAS PARA CONSULTAS PRESENCIAIS

Queremos que se sinta confortável e em segurança. Estaremos a seu lado, “pessoa a pessoa”, em cada uma das etapas:

  • Agende a sua consulta.
  • Responda ao nosso Questionario de Triagem, que lhe será previamente enviado.
  • Chegue sempre à hora exacta da sua consulta: nem antes nem depois (para evitar o contato com outros pacientes). Se, por algum motivo, a consulta estiver atrasada, entraremos em contato consigo com a devida antecedência.
  • Na primeira consulta, e/ou antes de iniciar qualquer tratamento, preencha a ADENDA AO CONSENTIMENTO INFORMADO DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19, da qual constam as INFORMAÇÕES IMPORTANTES PARA TRATAMENTO DE PMA DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19 .
  • Depois de ser verificada a ausência de febre (medida com termómetro à distância), faça a desinfeção das mãos com álcool-gel, coloque bem uma das nossas máscaras e dirija-se à sala de espera.
  • Tanto na sala de espera como ao entrar no consultório ou no bloco cirúrgico, evite TOCAR em objetos ou superfícies. (Consulte o nosso Plano de conduta e circulação de pacientes)